sábado, 7 de fevereiro de 2009

O Diabo e suas faces


A Igreja é que tinha razão. O Diabo nos tenta da forma mais perfeita: com aquilo que mais queremos. Lutar contra a tentação não é simplesmente um jogo de força de vontade contra o “coisa o ruim”. É lutar para recusar aquilo que sempre queríamos, e que agora está bem diante de nossos olhos.

Viver contra o Diabo é sacrificante. Sacrifício é bom, quando é feito pelo bem. Aí ele recebe este nome. Quando ele é mal, feito para o mal, aí é suicídio. No fim, é morte do mesmo jeito. E viver contra o Diabo é uma morte em vida, um suicídio.

O pior é que quando nos deparamos com aquilo que queremos, sabemos que está sendo oferecido pelo Diabo. É uma pequena sensação de que não merecemos. Ou de que teremos que pagar caro por aquilo. Talvez com a alma. Sabemos que é do Diabo, pois nos chegou sem “sacrifício” nenhum.

Tudo o que vem de mão beijada, recheado de chocolate, adornado em ouro e prata, e você pouco fez para merecer, acredite: é do Diabo! Mesmo que seja o Sacrifício de alguém, pelo bem, por você.

Um comentário:

Pucci disse...

Esse texto tem cara de sermao de pastor haiuhaa

bjo lindo =*