sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Amor, Próprio Amor


Eu te amo. Mas agora, eu só te amo pra mim. Vou me abrigar sob as asas deste sentimento solitário, e vou senti-lo confortavelmente, como nunca fiz antes. Não adianta dizer mais nada! Não, eu não quero este amor em troca. Eu só vou sentir o que sinto, por que eu simplesmente sinto, até isso acabar.

A minha história é feita de amores que sinto, de amores que me movem, do combustível que me mantém vivo e aceso pra viver. E também é feita de lenhadores que não trazem a madeira, e de chama que míngua na lareira. Por isso, agora abro mão da ajuda alheia, que se vier é bem vinda... mas se não vier, eu não contava mesmo com isso. Vou amar, por que o amor está dentro de mim e quer sair.

Não vou mais gritar, não vou mais chorar. Não quero mais desabafar. Vou apenas sentar no canto escuro da minha alma, confortavelmente, e sentir todo o amor do mundo que puder. Vou escrever todas as cartas românticas que puder, sem assinar um nome de destinatário. Vou amar intensamente, sem saber a quem. Pronto! Agora amo uma idéia, um ser abstrato. Vou amar um alvo na parede, e deixar este amor fluir.

Descobri que todo mundo que ama libera um pouco de amor na atmosfera. E isso gera uma espécie de nuvem psíquica, uma “piscosfera” de amor. Ela caminha pelo mundo feito uma tempestade vermelha, trovejando, obscurecendo o sol. E cada um aqui no solo que se sintoniza com ela, recebe uma descarga sobrenatural de tanto amor. Eu quero que mil raios de amor atinjam minha cabeça, até que eu pire nas chamas de uma paixão enlouquecida. Por isso vou amar em segredo.

Vou amar quietinho, no meu canto, no meu antro, no meu refúgio. Meu santuário terá um pequeno altar com velas e rosas vermelhas, um prato de prata e uma adaga de ouro. Um cálice de cristal puro vai ecoar o som do vinho derramando, e meu coração em oferenda sobre o mel vai adocicar meus sentimentos. Aprendi que o amor é uma magia, ou um mago. Então quero ser seu avatar.

Possua-me amor, eu libero meu coração e meu corpo para sentir todas as agruras que disponibiliza para seus seguidores. E quando acabar comigo, vou poder dizer: Eu amei ao menos uma vez! Não saberei a quem, mas terei amado. E quando morrer, minha essência vazará entre meus dedos e fluirá para integrar-se à nuvem de amor que paira pelo mundo.

Talvez minha alma se transforme num dragão vermelho escamado rubi, que cospe fogo e desejo, que lambe a alma dos outros e vira os olhos de prazer. Talvez eu devore a alma de quem amar também. Pois o amor destrutivo assim, eu sei sentir.

Um comentário:

Pandumiel Tunmarë disse...

Eu gostei MUITO de ler isso!
Me parece que está começando a entender que o Amor não é só um sentimento, ele também é uma força, uma torrente pronta pra te derrubar e levar pra longe!

Mostra que você está fincando o pé, preparado pra enfrentar essa onda e não vai arredar pé! Vai ficar e vai ser forte, pra ela passar e não te levar!

MUITO BEM!!!!! `^^´