sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Últimas palavras de um poeta prestes à morrer, de novo!

Alguém já me pediu “amor eterno” e eu não dei. Pois o amor que tenho é tão sagrado, e tão puro, que não ousei dividi-lo com ninguém. Nada poderia interceder no que sinto, posto que é chama que pulsa e incinera as outras certezas. Embora fique restrito ao seu nome, já que não permito vazar pelo mundo este sentimento, é forte o suficiente para consumir a minha alma.

E já me ofereceram toda riqueza e eu não quis. De nada me adianta as coisas da Terra, se a única coisa material que desejo é seu corpo. Livre do que quer que seja que me impeça de sentir o perfume ou os tons caprichosos de sua tez. Quero apenas seus poros em meus poros, sua boca na minha pele e minhas mãos em seus cabelos. Possuir-te, não no sentido de tomar sua vida como posse minha... mas no sentido de estar em sua alma e sentir o tilintar dos metais que carrega na memória, dentro da minha própria.

E até teve alguém que simplesmente quis me adorar, mas eu não deixei. Este poeta louco, amarrado com cordas no meu íntimo, deve permanecer ali, sem platéia. Mato o que sinto todas as manhãs, para que possa me concentrar por todo o resto do dia. Mas cai a noite, e você vem, e eu chego a ouvir sua voz doce e seu riso forte. Seus olhos de retrato em preto e branco me dizendo tudo o que pensa, e o que gostaria de pensar... é quando da escuridão da masmorra, entre celas de desgraçados e degenerados, surge a voz melodiosa do poeta que se põe à cantar...

A verdade é que te quero como alguém que quer morrer de tanto amar. Talvez não morrer, mas transcender a carne e a mente, a alma e o pensamento. Quero te amar tão profunda e vorazmente, que em pouco tempo nossos sonhos se tornem os mesmos e nossas mãos se encontrem sob os cobertores. E descompromissados, nossos risos se soltem pela vila, brincando de voltar a ser criança.

Nem sei se posso ou devo admitir, mas “te amo”, e me faz bem saber amar, nada é melhor. Pois meu sossego se transforma em adrenalina e meu sangue ferve. Minha vida fica mais ativa, meu organismo se desorganiza. As vezes tento dormir, solitário, e sem sono, mas tão feliz por ter você. É bom te pertencer, e as vezes eu nem sei porque...

E eu só quero que você goste de mim, metade da metade do que eu gosto de você. Que ainda assim, já seria muito mais do que alguém possa compreender um dia. Isto seria o equivalente à gostar de alguém ao infinito! Quero que você goste de mim, e deixe o seu amor interceder no meu amor, o seu humor furtar a nossa cor, e sua voz embriagar os meus sabores. E nada será mais bonito que nós dois amando assim...

Por favor, me cale... me beije!

---------------
Este pode ser um dos últimos posts deste ano, já que estou com muitos trabalhos (inclusive viagens! Olha que chique). Aqui a coisa anda apertada, muito trabalho pra fazer, e quase nada resolvido (mas tudo simples de se resolver). Como e durmo no local do serviço pra evitar perda de tempo com deslocamento, e já cogitam de colocar a máquina de café na minha mesa, para evitar que eu me distraia no caminho da mesa à copa (¬¬). Daqui a pouco, penso que vão me alimentar por tubos instalados no meu organismo cirurgicamente, para evitar que eu perca tempo com coisas corriqueiras como almoço e jantar...

Evidentemente este post foi “criado” tendo como base uma música sertaneja (Metade da Metade – Bruno & Marrone), e este também pode ser um motivo para que eu não apareça aqui por algum tempo! Hehehe... Mas em minha defesa, eu alego que esta música parece mais um tango do que música sertaneja, e tango eu gosto.

2 comentários:

Cáh disse...

hauhua, SABIA que bem no fundo vc era sertanejo... eu li isso cantando :)
que belo!

brincadeiras a parte...
caraio, queria estar aí em Pira só pra bater em vc...
por isso:
"E eu só quero que você goste de mim, metade da metade do que eu gosto de você. Que ainda assim, já seria muito mais do que alguém possa compreender um dia. Isto seria o equivalente à gostar de alguém ao infinito! Quero que você goste de mim, e deixe o seu amor interceder no meu amor, o seu humor furtar a nossa cor, e sua voz embriagar os meus sabores. E nada será mais bonito que nós dois amando assim..."


beijos... te amo

Pucci disse...

Adorei haha apesar do "quê" de sertanejo, eu sou romantica assumida... e achei esse texto mto lindo.

Bjos Gato! Amo voce!