segunda-feira, 13 de julho de 2009

Rebirth!


Estou me despindo de minhas folhas de outono, entrando em rigoroso inverno. Como na parábola da águia que se isola e se mutila, para que nova penagem, bico e garras lhe cresçam mais fortes e majestosos, estou em recolhimento. Para aqueles que me conhecem pessoalmente, e acompanharam minha história nos últimos meses, reconhecem este meu momento, descrito nos posts dos textos que nomeei “Um Pouco de Tudo”.

Para quem não me conhece, nem a minha história, talvez não compreendam os “símbolos” que inseri nesta saga. E humildemente solicito: não me questionem sobre estes motivos. Espero apenas que tenham gostado, pois aqueles que leram participaram de fatos reais de minha vida... ainda que simbolicamente. Viram as coisas que, em real, aconteceram comigo. Então espero que compreendam que estou neste clima “espiritual” mesmo, que declarei no último ponto do texto anterior.

Estou em paz, finalmente. Iniciando uma nova jornada que ainda vai me tirar do sério, me fazer ranger os dentes, rir feito criança ou chorar feito uma velha saudosa... O importante, entretanto, é que voltei ao ponto zero de minha vida. Estou tendo uma chance de recomeçar. E é o que vou fazer. Me despi do meu passado, das minhas amarguras, dos meus juramentos de vingança. Me despi do sofrimento que escolhi causar a mim mesmo e escolhi, agora, atravessar a dor sem dá-la mais crédito do que realmente possui.

Paz interior. Se quiserem, chamem assim. ;)

7 comentários:

Duas Caras disse...

eu percebi que a série de posts que vc fez teve relação com sua vida particular, só tive vergonha de perguntar...achei muito intimo =x


recomeçar é sempre bom! aliás, o negócio é recomeçar sempre.

abraço ;)

Anônimo disse...

Você pode jogar toda a culpa em mim, ou dividi-la comigo (o que eu consideraria uma atitude digna da pessoa que você é).

O fato é que erramos. Acertamos em vários pontos também, mas, ainda assim, julgo que erramos mais.

Do seu lado fiz planos à mesma medida que desfiz.

Você sabe que superar sua ausência não foi fácil. Sabe o quanto eu fui dependente de você (chame de doente, se assim preferir).

Mas dores superadas e feridas cicatrizadas, acredito que nós dois merecemos uma nova chance. Uma nova vida. Um novo amor. Um amor sem dor.

De você, escolho ter somente BOas lembranças.

Já apaguei da memória as vezes que me fez chorar, e fico feliz quando me recordo dos BOns momentos que passei do seu lado.

Junto de você cresci, pude enxergar novos horizontes, senti vontade de vencer na vida pra te dar o melhor (diga que me desvirtuei, se assim preferir).

E essas são minhas últimas palavras a você. Com muito mais saudade do que qualquer outro sentimento.

O que você representou vai ficar guardado em mim pra sempre.

PS: Da pessoa que acertou e errou, tentando acertar (ou da puta e vadia loira, se assim preferir)

Anônimo disse...

Fico muito feliz em saber que vc está bem. Sabe q torço muito por vc e estou no aguardo de explicações (apesar de vc ter pedido para não pedi-las, rs)
Beijinho.

Pucci disse...

Que tudo! Estou feliz por vc amor!!! :)

tomara que tudo fique bem daqui pra frente.

e vai ficar, pra nos dois!

;)

bjos!!

Cáh disse...

parece que vc ta indo embora?
Ou esta finalmente acordando?

Ignore tudo o qeu for necessário...
seja feliz...
seja pleno...
Voe...


Te amo!

Da Silva disse...

Quem escreve, antes de qualquer coisa, escreve para si mesmo. Vc acabou de comprovar isso.

Espero que qualquer demônio interno tenha sido devidamente exorcizado.

forte abraço e sorte em sua busca

comme des habitudes disse...

blog legal. parabens!!!!