quinta-feira, 30 de abril de 2009

Um Pouco de Tudo III

Leia também: Parte I | Parte II

A escuridão me envolvia num abraço gélido e sem sentidos. Não podia me mover, nem sequer formular um pensamento claro. Era apenas eu e o infinito negro, que lentamente me indicava um caminho a seguir.

Minha consciência foi a primeira coisa que recebi, e me surpreendi com a sobriedade das frases e lembranças que me vinham. Nada da turva visão do álcool me segurava. Em seguida, pude sentir toda a extensão do meu corpo, que estava sobre um leito acolchoado, embora duro. Eu ainda não podia me mover, era como se o esforço necessário para isso fosse superior às minhas reservas de energia...

Num piscar de olhos todas as memórias me vieram: da infância ao instante em que desfrutei daquele corpo branco, louro, de detalhes róseos; e de mais corpos; e de mais bares; e do jazz; do whisky; das agressões; sangue na cabeça; sarjeta se aproximando... dor! O susto foi tão grande que, de sobressalto, abri meus olhos, e a escuridão foi substituída por uma imensidão branca e estéril.

Luz. Finalmente luz. Eu estava vendo luz, mas ela cobria tudo e todos os lados, não me dando mais espaço que a escuridão me permitia. E este simples ato de abrir os olhos me consumiu mais das energias do que atravessar o Atlântico à nado, senti minha cabeça doer, meu corpo reclamar... e junto com isso uma voz sussurrou em meu ouvido uma frase.

Antes de voltar à inconsciência escura e impessoal, eu ouvi algumas palavras como: “hospital”, “acidente”, “embriagado” e “ficará tudo bem”. Eu não sei o que está acontecendo agora, mas as últimas palavras vindas de qualquer lugar me garantirão um pouco de sossego. Finalmente.

Comentando Comentários
Obrigado pelos comentários! E vamos comentá-los, então...

Pucci: Obrigado! ^^
Pimentinha: Nossa! o.O Eu não conhecia Rubem Fonseca (por nome), só algumas obras... prometo me inteirar mais do assunto, obrigado pela dica! ;)
Coisinha: *envergonhado* Obrigado! ^^ Confesso que adoro sua forma de escrever também.

5 comentários:

Pucci disse...

Voce é meu Harvey Milk :P

te amo!

Pimentinha disse...

"menenoo" tu eh bom nisso. *-*

Karla Moreno disse...

que saudade disso aqui! ;O

meu pc voltouuuu \o/

beijo grande, moço..
kakau! :)

Da Silva disse...

Podecrer, mais um bom escritor brotando na blogosfera...

Infelizmente é assim, as palavras e pensamentos que trazem sossego sempre chegam tarde demais.

Forte abraço!

Jonatan Bandeira disse...

Porque tantas luzes? Creio que esgotar as ultimas energias de nosso querido protagonista foi essencial. Será que ele está tomando glicose intravenosa? (brincadeira)

Ótimo texto!