quinta-feira, 2 de abril de 2009

Pizza, Vodka, Techno e Índia

Tudo começou com uma pizza. Três convidados. Três convidadas. E eu. Em seguida veio a Smirnoff. E depois a Sprite. E os limões. E depois a Skol. E a Smirnoff de novo, com Sprite e limões. E essa abertura nunca funciona bem...

E então veio o techno. E sumiram os sofás. Fez-se a pista. E veio a dança. Ah! A dança... E depois veio a sacada. E os corpos suados. O corpo torneado. Pele morena. Cabelos longos e negros como a noite. Fios brilhantes como a lua prateada. Um olhar inocente. A imagem de uma índia completamente pura, do interior da Amazônia. E o sorriso branco, safada. E os lábios vermelhos de cobra coral. E os olhos pretos de jabuticaba. E uma proposta que eu achei que nunca ouviria de uma mulher...

Ela sabia quem eu era. Ela sabia como eu era. Mesmo assim brincou com meus sentimentos. Ela brincou com meus hormônios. E eu mostrei a ela um lado meu que nunca mais tive contato. Ou tive, mas esqueci. Ou tive, mas quis esquecer. Ou nunca tive, mesmo. O fato é que éramos apenas nos dois... e eu estive a dois passos do paraíso.

Tudo começou com uma pizza. E essa abertura nunca funcionou bem...

4 comentários:

Da Silva disse...

Smirnoff? Skol? Limões?

Essa abertura funciona muuito bem!

Ah, garoto!

forte abraço!

Anônimo disse...

EU VOU TE ODIAR PRA SEMPRE!

Pucci disse...

ahhhh credo! hiauhiahu seu hetero :P

coizinha disse...

ai mateus...a melhor parte vc nao conta ne...
e depois?

tsc tsc tsc...