domingo, 5 de abril de 2009

20.000 Léguas Subconscientes

Penso que: assim como todos nós somos oceanos de sentimentos e emoções, perspectivas e projeções, todas as pessoas ao nosso redor também são. Veja bem, OCEANOS... isso implica em muita largura, muito comprimento e muita profundidade! Pare e pense: você acha que tudo aquilo que você pensa é bobagem? Ou que tudo o que se passa pela sua cabeça é fútil mesmo? Será que seus sonhos, seus pensamentos, seus medos, são todos sem propósito? Pois então, o que vem das outras pessoas também não é!

Responsabilidade com os sentimentos e pensamentos dos outros é a pedra fundamental para se desenvolver uma sociedade justa e boa. Respeito para com a vida, medos e aspirações de todos, é o que lubrifica as engrenagens do progresso moral. Será que realmente enxergamos todo cidadão à nossa frente como PESSOA, tão profunda e “sofredora” como nós? E se enxergamos, fazemos a coisa certa para contribuir com ela?

Existem muitas pessoas que não fazem isso. Eu as chamo de “mesquinhas”, ou “egocêntricas”, mas sei que existem nomes bem menos educados para isso. Quando olho pra dentro de mim e percebo que as águas do meu oceano são tão grandes, longas e profundas, que ao contemplá-las nem eu mesmo vejo a outra margem ou o fundo, também penso: que imensidão se esconde dentro das pessoas?

Acredite... no fundo desse oceano podem existir recifes de corais belíssimos... mas acredite também: os famigerados monstros do fundo do mar, que nunca são vistos na superfície, existem. As vezes demora, mas eles sempre vêm à tona, quando seu alimento lá embaixo não é tão abundante...

Mamãe já me dizia na praia: “cuidado onde mergulha, meu filho”! Santo conselho...

Comentando Comentários
Obrigado pelos comentários! E vamos comentá-los, então...

Duas Caras: O Você Me Faz Rir é motivo de orgulho. Não tem que se envergonhar de nada, mesmo!
Karla Moreno: Obrigado, Karla. Seu blog realmente é inspirador! ;)
Duas Caras (No post “Parto de Gravidez Psicológica”): De fato, meu amigo. O problema é cortar este cordão umbilical com nossas “crias”. Quando isso acontece, é doloroso e nos faz pensar “e o que eu vou fazer de agora em diante?”... é aí que você vira imortal! Descobre que o que você acreditava que fosse a sua vida (ou sua morte, quando terminasse), nada mais é do que uma única fase, significante porém não a mais importante, do ciclo todo... e isso é muito bom!

2 comentários:

Anônimo disse...

santo conselho...pena q a gente tem q qse afogar as vezes...todos nos

Duas Caras disse...

tipo - ótima filosofia, muito boa mesmo =p


valeu =)