terça-feira, 17 de março de 2009

Paranóia ou Sexto Sentido?


Às vezes a gente sente que há algo de estranho no ar. E às vezes a gente sente que tem certeza de que realmente há algo de estranho no ar. Eu sinto que há algo muito, muito, muito estranho no ar. E isso me devora.

A “desconfiança” vem como um insight, um brilho na mente que lhe diz que há algo errado nos fatos. É como estar caminhando pela casa e antes das coisas acontecerem você bate os olhos num canto dobrado da revista... e lá está escrito: “desconfie”. E esse termo pega na mente.

Depois, os atos soam em um ritmo, uma cadência, uma estrutura diferente na maneira como eles geralmente acontecem. Talvez seja o cheiro do desfecho dos fatos que o destino nos trás para nos alertar, enfim... não sei dizer... mas sei que sinto cheiro de coisas que não vão acabar bem, mesmo que elas pareçam inocentes à princípio. Ou quem sabe, pareçam até agradáveis...

E dessa forma soa um comentário isolado, no meio de uma conversa, e aquilo pode ser um indício. Partindo, depois, para uma forma completamente diferente de agir e falar, de um outro alguém. Há um plano no ar, e você sente os pêlos da nuca eriçarem-se. Você sente que será vítima de um golpe. E deixa-se levar... para ver até onde vai.

Enfim, coisas isoladas parecem estar ligadas. Um fato que entra, outro fato que sai. Pessoas diferentes, coisas diferentes, mas que claramente comportam-se como se estivessem ligadas. É como um tal de “um veio te falar bem do outro”, enquanto isso “o segundo lhe falará mal”... isso é um golpe para saber sua opinião. Sua reação. E seja qual for ela, sentenciará você!

Às vezes a gente sente que há algo de estranho no ar. E às vezes a gente sente que tem certeza de que realmente há algo de estranho no ar. Eu sinto que há algo muito, muito, muito estranho no ar. E isso me apavora!

Sinto falta do colo de minha família.

2 comentários:

Pucci disse...

Eu tenho medo disso tudo!

Duas Caras disse...

olha, novo visual, gostei =p

vei, quando sua mãe está todo dia no seu pé parece um saco...

mas ficar sem ela parece o fim do mundo, rs. Somos mamiferos bem apegados =p